Governo de SP anuncia isenção nas taxas para abertura de empresas por 60 dias

O Governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta segunda-feira (24) que o Estado de São Paulo, por meio da Junta Comercial, suspendeu a cobrança de tarifa para abertura de novas empresas.  O objetivo é impulsionar ainda mais o empreendedorismo e estimular a economia, diminuindo os impactos na geração de emprego e renda decorrentes da pandemia do coronavírus.

“Essa é mais uma ação do Governo de São Paulo de estímulo à atividade econômica, sobretudo para micro e pequenos empreendedores. A decisão de não cobrar taxas pelos próximos 60 dias, faz diferença, além de também impactar na velocidade e presteza no atendimento”, disse Doria. “São Paulo representa 36% da economia brasileira. Se recuperarmos a economia de São Paulo, estaremos ajudando a recuperar a economia do Brasil”, acrescentou Doria.

Os novos negócios terão o benefício concedido por 60 dias a partir desta terça (25), após a publicação no Diário Oficial do Estado.

 Empresas isentas:

A suspensão da cobrança vale para empresas classificadas como:

  • Limitada (LTDA);
  • Empresário Individual por Responsabilidade Limitada (EIRELI);
  • Sociedade Anônima (S/A);
  • Empresa pública;
  • Empresário Individual (EI);
  • Sociedade Cooperativa.

Para o presidente da Associação Comercial e Empresarial de Suzano (ACE Suzano), a iniciativa é positiva, “Incentivar a criação de novos negócios é uma saída para a crise. Novos negócios geram empregos e ajudam a manter a economia. É uma iniciativa que contribui para o desenvolvimento econômico do Brasil”. Afirmou Fernando Fernandes.

 Junta Comercial na ACE Suzano:

 Os serviços da Junta Comercial (JUCESP) estão disponíveis na ACE Suzano, por meio de uma parceria com o Sincomércio (Sindicato do Comércio Varejista de Mogi das Cruzes e Região do Alto Tietê) que é conveniado com a Junta Comercial do Estado de São Paulo.

Para mais informações ligue no Sincomércio através do telefone (11) 4799-7788.

Empreendedorismo em alta

Dados elaborados pela Junta Comercial apontam um crescimento gradativo nos números de abertura de empresas em São Paulo, mesmo durante a pandemia. A partir de maio, pequenas altas foram registradas. Foram registradas 10.882 novas empresas naquele mês, e em junho o total subiu para 15.918.

Já em julho houve recorde de abertura de empresas em São Paulo neste ano, com 21.788 novos negócios. O número foi superior ao de fevereiro, que até então registrava a maior alta, com 18.042. Também superou as inscrições verificadas em julho de 2019, quando 20.187 empresas foram registradas.

Do total de empresas abertas em julho, 30% é do setor de comércio, categoria que lidera a abertura de novos CNPJs no estado. A categoria de atividades administrativas e serviços complementares fica em 2º lugar, com 11,8% das empresas abertas no mês, seguida por atividades profissionais, científicas e técnicas, com 11,6%.

Em relação à categoria jurídica das empresas abertas em julho, 20% são empresas individuais, como microempreendedores individuais.

“Tivemos números importantes em julho, acima da expectativa, e queremos manter esse ritmo acelerado de crescimento de abertura de empresas, sobretudo dando autoridade para aqueles empreendedores resilientes que vêm se reinventando para poder criar seus novos negócios”, ressaltou Walter Ihoshi, presidente da Junta Comercial do Estado de São Paulo, que também participou da coletiva.

 


Foi útil esse post:

0 votes, 0 avg. rating

Compartilhe isso:

Ace Suzano